Vida corrida! E a maternidade onde fica?

Creio que os dias são mais abreviados depois que a gente se torna mãe. Do acordar, ao deitar (sabe Deus que horas se deita…) e o dia pura correria!

Agora estamos no período de férias escolares eu sinto um refresco nas atividades rotineiras… Uma pausa em deveres escolares, o levar pra escola, o preparo do almoço, dar conta do uniforme, lanche, lancheira… bilhete da agenda… Aff… cansei só de listar! O dia é corrido! Eu que trabalho em meio período, sinto correr mais ainda… tem dias que sinceramente não sei como dar conta!

Aqui já aconteceu de entreter com a casa fazendo janta, aproveitando estar na área de serviço, coloca roupa na máquina, tira a que secou, dobra, guarda… e simplesmente esquecer da pesquisa da e quase às 22h ter que sentar com o pequeno pra fazer. Já aconteceu também de estar exausta e permitir os jogos no celular… #menasmãe já até dormi antes dele… (rsrsrs…)

Definitivamente o dia com filhos é mega preenchido, se você perceber à toa… alguma coisa deixou por fazer.

Quando Joseph era menor… e eu deixava por um instante… podia contar que havia aprontado! Meus hidratantes já foram pelo ralo da pia do banheiro… os sabonetes líquidos da pia eu desisti por um tempo, porque ía ralo abaixo. Papel higiênico… meu Deus… era brinquedo preferido. Ah a roupa do armário… ele revirava!

E tem dias que a gente nem se olha no espelho… me recordo do meu puerpério… as olheiras eram imensas… eu sobrevivia naquela época e depois que voltei ao trabalho me cobrava tanto pelo pouco tempo com ele… e fazia o que podia pra fazer valer o tempo de qualidade que tanto se falam.

Porque a vida corrida faz parte de nós ou por excesso de atividades ou por falta de organização, porque a gente cisma que é mãe polvo! Com nossos braços imaginários…

Uma coisa que aprendi e que passei a por em prática é fazer o melhor que posso, com o tempo que tenho e não me culpar por esse tempo não ser o dia inteiro. Aqui eu e o papai reversamos nos cuidados com ele, dividimos as tarefas e idas as atividades extras curriculares e vamos equilibrando.

Vez por outra esbarram-se os três em casa no meio da semana e a gente curte esse tempo junto.

Porque os filhos exigem a nossa atenção, tem sempre uma pergunta, um comentário, algo pra chamar nossa atenção. Enquanto escrevia esse post, cá estava ele ao meu lado me perguntando o que tanto escrevia… eu disse que era sobre ele e ele me deu um beijinho…

Logo depois começou a tagarelar sem parar!! rsrrsrs… aí eu pedi pra esperar um pouco só, que já conversava com ele.

Bom, aqui é assim… estamos próximos dele. No quesito atenção, temos prioridade, mas, dói tanto ver o quanto outros pais são ausentes… o quanto o tempo passa rápido e os filhos que crescem mais rápido ainda. Eu pausei muitas coisas em minha vida após a maternidade, aos poucos agora ele com 8 anos eu estou retomando o tempo pausado, mas, que não foi perdido, porque ele só é criança uma vez e nós temos muito tempo pra nossas coisas de adulto.

Na casa da vizinha

Outras Participações:

Nossa próxima abordagem será em 21 de agosto. Tema: “Adolescência dos filhos! Estamos preparadas para sua chegada?”

Obs.: Esse tema será tanto para as mães de filhos que estão na adolescência, para as que já passaram por essa etapa e para as os adolescentes que ainda virão. Tudo é experiência Materna! Obrigada Ana!!

Abordagem

  • A adolescência chegou: Será que eu sabia tudo sobre maternidade?
  • Um pé na infância, outro na adolescência. Como tratar seu filho?
  • O desafios e a beleza da adolescência
  • A solidão materna e a solidão do filho adolescente
  • É preciso sabedoria nessa “nova maternidade”
  • O mundo colorido, diferente e distante do adolescente
  • O que muda na adolescência entre mãe e filho
  • Como se sente uma mãe de adolescente
  • Como passei essa fase tão delicada que é a adolescência?
  • Como não distanciar de seu filho adolescente
  • A adolescência ainda não chegou por aqui, mas ouço relatos de outras mães
  • As expectativas da adolescência que virá
  • O adolescente que fui um dia

Como funciona a BC (Blogagem Coletiva)

♥ No terceiro domingo de cada mês, faça uma postagem no seu blog sobre o tema proposto, com o mesmo título da BC no seu texto. Lembre de mencionar que faz parte do Projeto: Na Casa Da Vizinha – Blogagem Coletiva uma iniciativa de Cris Philene e Tê Nolasco,
♥ Link nossos blogs ao nome!
♥ Feito isso compartilhe o seu link aqui nos comentários, para que possamos inserir à nossa publicação.
♥ Não deixe de visitar e comentar também em quem está participando

5 Comentários

  1. Lindas fotos amiga, e quanta dedicação ao bem precioso, que é a família, filhos…
    Precisamos sempre fazer escolhas, e as as vezes é necessário renunciar algo, porque a vida é assim, feita de escolhas…
    Toda dedicação, esforço, vale a pena, porque é como vc mencionou, a infância é uma só…
    Beijos doces,
    Ju

  2. Amiga, primeiramente me deu vontade de apertar o Jo com essa pantufa….ai ti delicia..
    Por mais que amemos nossos filhos, que dediquemos, que entregamos nossas vidas a eles que são bens preciosos e fazemos questão disso, sim, a vida tem suas correrias, seus cansaços, seus apertos. E todos unanimemente passam por isso.
    A maneira de encarar e levar é que é diferente…

    Mas de tudo que você falou uma coisa eu aponto: Crianças e adolescentes, eles só serão uma vez!

    A gente faz o melhor,cansada, correndo, e amando.. Tenho certeza 🙂

    Feliz com mais uma BC…

    Beijos

    Tê e Maria ♥

  3. Cris, que gostoso ver as peraltices do Joseph!
    Bernardo também fazia artes com as roupas da gaveta, tudo ia para o chão!
    A maternidade faz mágica com o tempo: encurta, alonga, pausa, faz-nos estar tão presente… E tudo é tão bom, porque tudo é amor!
    A foto da família emoldura essa postagem!
    Temos mesmo que desfrutar essas oportunidades tão maravilhosas que é estar juntos, em conexão olho no olho.
    Que cada vez mais mães e filhos e pais e famílias possam usar o tempo a seu favor, criando e fortalecendo os laços de amor.
    Mais uma troca muito enriquecedora com esta blogagem!
    Beijo

  4. Adorei,Cris! Realmente o tempo voooooa e nós corremos como piorras..
    Gostei de ver que inexiste arrependimento…
    Tudo vale…o amor paga tudo,compensa!

    Bjs,tudo de bom chica

  5. Oi Cris!!!

    Pois passa muito rápido a infância para não pausarmos projetos que outra hora, quando os filhos não forem mais crianças, poderão ser retomados. E com a recompensa de ter vivido a maternidade de forma profunda e evidente em nossas conversas, tão preciosas nestas blogagens.

    Um prazer estar com vocês!

    Beijo!!

    Renata e Laura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *