Qual a marca que você irá deixar no seu filho?

Como estamos investindo o nosso tempo com nossos filhos? Quando não estivermos mais aqui quais serão as marcas que teremos deixado neles?

Qual a marca que você irá deixar no seu filho?

Oi Meninas. Chego com toda intimidade hoje porque não é segredo pra ninguém que aqui no Prosa de Mãe me sinto em casa. O carinho que recebo aqui com a aceitação e troca de ideias nos artigos publicados é muito prazeroso pra mim. Então me sinto muito à vontade para falar hoje sobre um tema que me toca muito. Hoje pretendo me despir de todas as minhas emoções, e tenho certeza que vocês irão me entender.

Esse mês de novembro é um mês bem delicado e mexe com todas as minhas memórias afetivas. Há exatos um ano, oito meses e cinco dias, uma Rainha, a melhor mulher do mundo, me deixou, sem aviso prévio e sem saber como lidar com essa falta. E no próximo dia 21 ela faria 63 anos, com carinha, beleza e extroversão de 40 (rs). Com esta data se aproximando, é impossível deixar de pensar no quanto nos machuca essa ausência involuntária da pessoa que amamos, especialmente quando nos referimos à figura materna. Sei que parece clichê, mas é verdade, só sabe a falta que faz quem já a perdeu.

Impossível não rolarem muitas lágrimas quando penso nela, mas há alguns dias uma pessoa muito querida, Ana Moura me disse o seguinte: “quando essa data ia se aproximando ela ficava ainda mais radiante, e festeira com era, só queria saber de comemorar, fosse com um almoço, jantar, bolo, um passeio, enfim. Ela era alegre, extrovertida e gostava de ver as pessoas ao redor felizes, então, porque ficar triste nesta data que era tão importante para ela? Com certeza ela não gostaria de ver-te triste e cabisbaixa. Então porque não, ao invés de ficar triste comemorar e sorrir em homenagem a ela, como se estivesse aqui ainda? É uma maneira bem melhor de ser lembrada do que com tristeza.” Foram os argumentos de Ana, que me tocaram profundamente.

Não posso deixar de concordar com ela, e embora a tristeza seja normal, e quando der vontade de chorar, acho que não devemos nos prender. Porém, a partir destas palavras, passei a ver o modo como quero que ela seja lembrada de maneira diferente. Se puder, não quero mais lembrar dela com lágrimas, ela merecia sorrisos!! Então passei, durante alguns momentos desses dias, a pensar no tempo em que vivemos juntas aqui. Foi aí que me dei conta de quantas marcas ela me deixou, marcas inapagáveis, marcas de amor.

Me lembro da minha infância, de como ela me arrumava feito uma boneca, com tranças enormes e desfilava comigo pela rua. Eu usava as roupinhas mais lindas, ela me enchia de pulseirinhas e acessórios. Lembro em como ela fazia comidinhas que eu gostava para ver um sorriso meu. Em uma certa época, ela trabalhava muito, mas nunca deixou de se preocupar comigo, nem com meu irmão.

Na adolescência, não tem jeito, começam as fases dos problemas e das diferenças. É sempre assim. A gente quer se afirmar como pessoa, e apesar de não ter sido uma adolescente rebelde, tínhamos muitos impasses. Quem me conhece sabe que eu tinha a mãe mais controladora do PLANETA (rs), e por vezes, sufocada, eu não via que muitas das preocupações dela faziam parte de um profundo cuidado comigo. E ela não via que discordar dela em algumas coisas não significava não amá-la. Apesar disso, esses problemas, hoje, são reduzidos a nada, quando lembro de todas as vezes que ela esteve do meu lado, em como sempre, desde criança, fortalecia minha autoestima dizendo o quanto era linda e inteligente (nós pais, não sabemos a força de um elogio para nossos filhos), me mimava e tinha prazer em estar do meu lado, fosse fazendo “comprinhas”, ou saindo para um passeio. Às vezes, no momento, não percebemos a força desses pequenos gestos, e não temos a dimensão do quanto eles nos marcam, só vamos perceber muito tempo depois.

Já na fase adulta, nem se fala. Passamos juntas por poucas e boas, a separação dela, meu parto com risco de eclampsia. Foram momentos difíceis, onde nos apoiamos mutuamente. Lembro de quando estava ainda na maternidade, e ela apressando a obra do meu quarto sem eu saber, para que quando eu voltasse estivesse tudo do jeitinho que eu queria, e me fazer surpresa; lembro de como ela ficava feliz quando eu fazia as unhas imensasss dela todas coloridas e com desenhos e ela ficava “se sentindo”, lembro dela ter sido meus dois braços e pernas quando me vi cuidando, sozinha, de uma filha; lembro que, mesmo adulta, ela me dava presente do dia das crianças, no natal e nos aniversários; e uma das coisas que mais sinto falta, nos meus aniversários, por muitos anos, em todos os anos, ela SEMPRE me acordava pela manhã bem cedinho, com uma bandeja de café da manhã com frutas, chocolates, suco e tudo que eu amava.

Enfim, além dela ser um ser humano incrível, foi uma mãe maravilhosa. É claro que tivemos problemas, brigas, MUITAS VEZES, e isso é normal, sempre acontecerá entre mães e filhos. A minha pergunta hoje é (e isso vale pra mim também), como estamos investindo o nosso tempo com nossos filhos? Quando não estivermos mais aqui quais serão as marcas que teremos deixado neles? Como seremos lembradas? Como demonstrei a vocês, nessa singela homenagem, os pequenos gestos fazem toda diferença, e por vezes não damos importância. Quantas vezes nos preocupamos em dar o melhor brinquedo, a melhor roupa, festas caríssimas, e esquecemos do abraço, do beijo de bom dia, do “eu te amo”, das demonstrações de amor. Não sei para vocês, mas não prego essa cultura de que afeto a gente tem que dosar para não “estragar” a criança. Pra mim é justamente o contrário, amor não tem que ter medida, amor é pra ser abundante, mas isso é para um próximo debate!

É isso gente, se repararem, não citei um presente caro, uma boneca da moda, uma roupa de grife, NENHUM bem material. As marcas que minha mãe me deixou foram no mais íntimo do meu ser e do meu coração, e essas o dinheiro não compra!! Repito: Quais marcas deixaremos como mães nesse mundo?

Perdoem pelo texto longo, e pela emoção desmedida. Deixo vocês entre lágrimas e sorrisos.

Beijos e até a próxima!

Priscila Silva.

Blog: Trocando Ideias

Fan Page: https://www.facebook.com/blogtrocandoideias?fref=ts

15 Comentários

  1. Nossa que lindo amigaa!
    Com certeza a emoção aflora e nos contagiamos .. por nos colocamos no lugar …
    Lindas palavras e pode ter certeza … sempre sentirá sua presença e ensinamentos …
    com meu pai é assim ..sinto sua presença sempre .. principalmente no meu aniversário e datas importantes.. ele sempre vem me visitar e estaram sempre nos orientando e protegendo ..

    um abraço no seu coração!

    ?*´¨)*
    ¸.•*¸.• ?´¨).• ?¨)
    (¸.•´*(¸.•´ Roberta Aquino
    <a href="http://www.talmaetalfilha.blog.br//&quot; Tal Mãe, Tal Filha Blog

  2. Hoje mesmo estava escutando uma entrevista que fiz com a caontora Luciana Mello, e me tocou uma parte que ela fala sobre isso. Realmente e’ para se pensar. Acho que o ritmo de vida que levamos esta atrapalhando um pouco nessa relacao….. Adorei o texto.

    Bjos
    Mari Visconti
    http://www.clubedafraldinha.com

  3. Mãe é um ser muito especial mesmo, lendo o que vc escreveu fiquei lembrando da minha infância das marcas que minha mãe deixou, o que eu sempre tento passar para o Rafa que devemos dizer todos os dias qntas vezes quisermos repetir que amamos nossos filhos.
    Lindo texto.
    bjcas
    http://www.estou-crescendo.com

  4. Nossa Priscila, me emocionei com vc.
    Fiquei imaginando as minhas recordações de criança, a importância de ter a minha mãe ao meu lado e sobre o que quero deixar ao meu filho…
    Acho que estou no caminho certo, porque tudo que faço é pensando no bem estar do me filho, tudo com mito amor e carinho, e quero que ele se lembre de tudo, com tantos detalhes, assim como vc descreveu seu texto… Porque eu tanto não fico moderando em dar abraços, beijos e palavras de carinho ao meu filho.
    Que texto emocionante e inspirador. Espero que nessa data, vc consiga se alegrar e lembrar do momentos bons, porque esses sim, são o que devemos guardar.
    Beijos no seu coração.
    Ju
    http://www.maesemfronteiras.com.br/

  5. Sabe aqueles textos que você precisa ler? Que texto bonito, Priscila. Que homenagem bonita. Mesmo as brigas (naturais que acontecem com todos nós) que aconteceram, mesmo as desavenças momentâneas, mesmo com tudo isso vemos o amor presente aqui
    Beijos

  6. Minha mãe é meu porto seguro, gentil, guerreira, amvel
    Quero poder um dia deixar boas marcas em meus filhos assim como minha mãe deixa em mim
    Amei o texto
    Bjs
    Blog Inspiração Materna

  7. Impossível não se emocionar, esse belíssima homenagem me fez refletir muito… Devemos amar e mimar muito as pessoas que amamos, pois nunca sabemos o dia de amanhã. O HOJE tem que ser aproveitado.

  8. uma frase que tocou meu coração
    a vida segue e o melhor mesmo é guardar na
    memória momentos que eternizam.
    e aqui em casa não dosamos nada
    apenas nos doamos rs
    Linda Noite
    beijokas da Nanda

    Mamãe de Duas
    Google+Nanda

  9. Muito legal esse post. Realmente tudo que vivenciamos com nosso filho deixa marcas na vida dele que irá carregar para sempre. Por isso os bons exemplos são super importantes bjo

  10. Author

    Amiga… como não se emocionar com tantas recordações e como bem disse MARCAS deixadas por sua mãe. Não tem como não lembrar e falar dela e não lembrar do sorriso, cabelo e maquiagem sempre em dia e as unhas enormes sempre bem feitas. Tb não tem como não lembrar do cuidado, das inúmeras recomendações q ela fazia e vc fazia aquela cara… fazia bico… ah tá bom Mãe!! E lá íamos nós três (eu, vc e cintia) pra nossas andanças kkkkk
    E as ligações? E quando ela vinha a caça kkkk ah meu Deus lembro como fosse hoje!!
    Ela se foi sim… mas a presença, carinho, amor, cuidado e todas as recomendações… seguem presentes e vivos pra sempre em sua vida e tb carregará e repetirá com a sua pequena… ossos do ofício!! kk
    Fica a reflexão pra nós… bjs


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *