O lado Mulher de toda Mãe

Cadê a mulher que estava aqui? Onde ela foi parar?

Por algum tempo eu vivi exatamente desde modo. Entregue a maternidade e vivendo o papel de mãe por inteiro. A todo tempo, o tempo todo.

Ao mesmo tempo que a maternidade traz uma força que nem sabíamos que existia, do mesmo modo a insegurança bate… Com relação ao futuro, as fases dos nossos filhos, os compromissos. Não tem como separar a mãe da mulher. Ela tem prioridades que a mulher de antes não tinha. A mulher se olha no espelho e se vê mãe, porque até na selfie o filho sai. Nos doamos muito, talvez por vezes além do que deveríamos, esquecendo deste modo de quem somos.

Acredito que todas nós passamos por essa fase, sim, eu digo fase, porque creio que nós mães também passamos por elas. Talvez seja por conta das transformações que vamos vivendo… Não reconhecendo mais quem éramos e indo em busca da nova mulher que surge.

O lado Mulher de toda Mãe

E a mulher que surge surpreende a nós mesmas, pois é totalmente diferente daquela de antes. Mais decidida, mais pensativa, madura. Uma mulher transformada!

A maternidade tem esse poder nos transformar! Na verdade de fazer nos reinventar!

Lembra daquela frase que diz que a vida vira de cabeça pra baixo? Pois é, eu creio que é deste modo e nesse revirar a gente percebe que a vida por esse novo ângulo é muito mais interessante.

A mulher que renasce se olha no espelho, desta vez e de fato se enxerga. Não se deixa levar pelas opiniões dos outros. Avalia melhor, segue aprendendo com o dia a dia e se transformando a cada nova fase…

Acho que sempre estaremos nesse processo de mudanças e reinvenções, mas, sempre de braços abertos a nova mulher que surge!

Na Casa da Vizinha

Participações:

♥ Tê Nolasco Bolinhas de Sabão para Maria

♥ Renata Diniz – Diário de Alegria

Chica – Chica escreve por aí

♥ Ana Paula – Manhã de Jasmim

Ju Pelizzari – Mãe sem fronteiras

Dia 20 de novembro, quarta-feira, será nossa próxima postagem. Como será o “Dia da Consciência Negra”, aproveitamos para abordar o tema Diversidade.”Como ensinar os filhos a valorizarem a diversidade”

Sugestões:

  • a diversidade étnica na escola
  • o incentivo em casa para a boa convivência com a diversidade
  • amor pela diversidade étnica e cultural
  • os ensinamentos de convivência que devem vir de casa
  • aceitar o outro como ele é
  • ensinar ao filho que todos são iguais (brancos, negros, deficientes, o pobre, o rico)
  • ter compaixão pelos outros

Como funciona a BC (Blogagem Coletiva)

♥ No terceiro domingo de cada mês, faça uma postagem no seu blog sobre o tema proposto, com o mesmo título da BC no seu texto. Lembre de mencionar que faz parte do Projeto: Na Casa Da Vizinha – Blogagem Coletiva uma iniciativa de Cris Philene e Tê Nolasco,
♥ Link nossos blogs ao nome!
♥ Feito isso compartilhe o seu link aqui nos comentários, para que possamos inserir à nossa publicação.
♥ Não deixe de visitar e comentar também em quem está participando.

6 Comentários

  1. Verdade Cris, a maternidade trás uma nova mulher, reformulada por dentro e por fora, e trás até uma beleza diferente, elegante, enfim, uma maturidade que reformula tudo, mas trás uma versão ainda melhor da gente…
    Lindo texto, lindas fotos, amei!!!
    Desculpa a demora nas visitas…
    Beijos doces,
    Ju

  2. Oi Cris!

    “Transformação” é uma das palavras que mais chamou a minha atenção.

    É por isso que estamos neste planeta chamado Terra, para sermos transformados.

    É nossa responsabilidade crescer e amadurecer de braços abertos conforme você repartiu conosco!

    Beijo!

    Renata e Laura

  3. Cris,adorei tuaq abordagem nesse tema. A mulher que surge com a maternidade será sempre melhor do que a de antes, que tinha tempo pra si e tudo mais.

    Gostei de lembrares que até na selfie, o filho aparece,rs…Lindo! beijos, tuuuuuuuuuudo de bom,chica

  4. Cris, esse looping, essa virada de cabeça para baixo que a vida nós dá nos tornando mães é incrível, delicioso com todos os medos, inseguranças e a felicidade imensa de ter um pequeno nos braços!
    E é como você falou, durante uma fase, um tempo, nos voltamos totalmente para o filho pequenino e depois vamos nos reencontrando mais fortalecidas!

    Uma alegria participar mais uma vez com vocês! Beijo no Joseph e como não poderia esquecer, no Simba!

  5. oi amiga, bom dia!!!

    É bem isso mesmo que você falou: estaremos sempre em processo de mudanças, reinvenções. As vezes achamos que não daremos conta. Nos achamos abatidas, bem mais velhas, cansadas, mas o encantamento que traz a maternidade e que não acaba, nos faz reinventar todos os dias as “mulheres” que surgem..

    E depois da maternidade surgem muitas mulheres…
    Porém o equilíbrio é fundamental entre mãe e mulher, para assim sermos felizes, mais leves e podermos transmitir essa leveza e alegria aos nossos filhos…

    Feliz por mais essa BC amiga. A do mês que vem será muito rica!

    Beijos no coração, lindas fotos!

    Tê e Maria ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *