Cada etapa de nossa vida vivenciamos um ciclo de amizades que permite conhecermos e nos reconhecermos em outras pessoas, não poderia ser diferente na maternidade… Algumas amizades se vão e muitas outras se chegam! Nossa vida muda tanto que não há como viver como antes… nossas prioridades são outras, nossa disponibilidade também. Os assuntos então… somente de filhos e naturalmente as amizades mudam. As novas amizades que se achegam são diferentes das primeiras e amizades de sempre, não sei vocês, mas, nos tornamos mais rígidos quanto a escolha e convivência, e desta vez somos mais criteriosos. Nos aproximamos mais daquelas pessoas que partilham do mesmoLeia Mais…

Cadê a mulher que estava aqui? Onde ela foi parar? Por algum tempo eu vivi exatamente desde modo. Entregue a maternidade e vivendo o papel de mãe por inteiro. A todo tempo, o tempo todo. Ao mesmo tempo que a maternidade traz uma força que nem sabíamos que existia, do mesmo modo a insegurança bate… Com relação ao futuro, as fases dos nossos filhos, os compromissos. Não tem como separar a mãe da mulher. Ela tem prioridades que a mulher de antes não tinha. A mulher se olha no espelho e se vê mãe, porque até na selfie o filho sai. Nos doamos muito, talvezLeia Mais…

Eu não sei como responder essa questão sobre a Adolescência dos filhos, talvez por ainda perceber meu menino sendo criança e não tendo nuances de uma pré adolescência… mas, fiquei pensando sobre isso e talvez nem mesmo a mãe que esteja vivendo sabe bem o que dizer e proceder quanto a adolescência dos filhos. E ainda mais, acredito que nunca estaremos preparadas pra cada nova fase da maternidade. Conforme eles crescem vamos percebendo nossos bebês alcançarem sua autonomia e independência. Porque a verdade é… mãe é um turbilhão de sentimentos e emoções e ao mesmo tempo que esperamos que eles cresçam, do mesmo modo queremosLeia Mais…

Esse tema foi inspirado em uma postagem da psicóloga e amiga Sílvia Barbosa do Instagram e Blog Enfim Nós a postagem dela me fez pensar muito o quanto a minha maternidade é diferente da maternidade da minha mãe. Eu sou muito mais apegada, sou de acolher… abraçar e se tiver que chorar junto, pego meu menino no colo e choramos… A um tempo atrás eu vi uma imagem no instagram sobre o ciclo da maternidade e me identifiquei totalmente. E sem que percebesse fiz a minha trajetória materna diferente da que fui criada. Minha mãe me teve muito jovem aos 21 anos, e paciência não era o lema lá deLeia Mais…

Fui mãe aos 33 anos, minha vida toda trabalhei fora e durante toda a gravidez mantive a mesma rotina. Em meu entendimento, seria “simples” voltar ao trabalho depois de ter meu filho. Como sair de casa para o trabalho foi sempre rotina, não pensei, nem por um instante qualquer que seria o maior desafio. Mas, então o filho nasce… o tenho em meus braços e percebo que todo o meu universo cabia ali, no meu colo. Estava bem ali, aninhado… Somente mãe, entende mãe, entende o sentimento de mãe, entende o tamanho do amor que só faz crescer a cada dia… a cada instante. E voltarLeia Mais…