Nas últimas semanas, vimos todo o desenrolar do trabalho de parto e seus -super- benefícios para o binômio mãe-bebê. Os profissionais no parto Hoje nós vamos falar um pouco sobre os profissionais que podem, ou não, atender a mulher nesse momento. Quem são esses profissionais e o que eles fazem? Eu preciso montar uma equipe ou só preciso encontrar um GO? Em muitos países, a midwife é responsável por acompanhar as mulheres no TP. Geralmente uma equipe de três ou quatro midwives fazem o acompanhamento desde o pré-natal, e o parto acontece com a midwife que está de plantão no dia. Os casos de gestaçãoLeia Mais…

No nosso último encontro, falei sobre as três primeiras fases de um trabalho de parto, que são os pródomos, a fase latente e o trabalho de parto ativo.  Hoje vamos falar sobre os três últimos, que são a fase de transição, período expulsivo e a dequitação da placenta. Fase de transição: Comparando com as fases anteriores, a fase de transição é uma das mais rápidas. Começa quando a mulher está com 7-8 centímetros de dilatação e termina quando a dilatação já está completa. Nessa fase as mulheres entram na chamada partôlandia. Nessa altura, os níveis de ocitocina (lembra que falei na postagem anterior?) estão super elevados,Leia Mais…

Uma das maiores dúvidas que as mulheres têm quando estão grávidas é sobre o trabalho de parto. Como é? Quando começa? Qual a duração? O que fazer? E muitas mulheres, mesmo já tendo filhos, desconhecem como se dá o trabalho de parto (TP) efetivo. Hoje vamos falar sobre isso. O TP é dividido em seis partes, que se chamam: os Pródomos, a Fase latente, o Trabalho de parto ativo, a Fase de transição, o Período expulsivo e a Dequitação da placenta. Vou dividir esse post em dois, pra não ficar muito chata a leitura! Nessa vou falar sobre os pródomos, a fase latente e oLeia Mais…

Como comentei no meu último post, consegui meu tão sonhado parto (a)normal. Não sem antes fugir de uma médica cesarista. Fugi por puro medo da anestesia, do corte, da recuperação, da cirurgia em si. Fugi porque nasci de uma cesárea sem anestesia e passei a vida toda escutando como minha mãe tinha gritado (e sofrido!) na hora que cheguei ao mundo.  Fugi por instinto! Mas não consegui escapar do corte, do soro, do médico empurrando minha barriga pro bebê descer mais rápido(?). Enxergar como minha mãe e eu sofremos sem necessidade é tão triste. Tão arrasador. E se nossos médicos e suas equipes tivessem sidoLeia Mais…