Num tempo distante… Eu fui sim! No entanto, quando nos vemos numa correria e excessos de afazeres… é  difícil lembrar desse tempo de infância. Olhar as poucas fotos, ouvir dos meus pais: as birras, teimosia que eu fazia. As artes e bagunças… me faz ver a criança que fui. Numa época em que brincar na rua era possível, morar pertinho  dos primos faziam deles nossos melhores amigos… O brincar sem tempo determinado, porque nossas tardes eram livres, sem alguém dar palpite das brincadeiras, dos piques infinitos que “inventávamos”… Éramos mais criativos De fato! E tudo se tornava brincadeira. Certamente, eu amava fazer bolinhos com areiaLeia Mais…