Trabalho de parto – parte II

No nosso último encontro, falei sobre as três primeiras fases de um trabalho de parto, que são os pródomos, a fase latente e o trabalho de parto ativo. 

Hoje vamos falar sobre os três últimos, que são a fase de transição, período expulsivo e a dequitação da placenta.

Fase de transição: Comparando com as fases anteriores, a fase de transição é uma das mais rápidas. Começa quando a mulher está com 7-8 centímetros de dilatação e termina quando a dilatação já está completa.

Nessa fase as mulheres entram na chamada partôlandia. Nessa altura, os níveis de ocitocina (lembra que falei na postagem anterior?) estão super elevados, então ela consegue se conectar com o corpo e já não presta mais atenção ao que acontece ao redor dela e passa a não mais responder a perguntas ou responde incoerências.

Nessa fase, a única preocupação é encontrar uma posição confortável pra sentir as contrações. Geralmente os sons são de gemidos, e ela fica em constante movimento pra encontrar posições confortáveis.

É também nessa fase, que a mulher libera sinais (orais) que o bebê está para nascer. Ela volta ao estado consciente apenas pra duvidar de si mesma, ela diz que não vai conseguir, que quer anestesia, pede cesárea.

Nesse momento é a hora de encorajar a mulher, falar frases de apoio, incentivo e lembrá-la da sua capacidade de parir. Lembrar que ela deve confiar nela e no seu corpo. Lembrar de olhar novamente pra seu instinto, lembrar que seu corpo sabe parir!

O bebê nessa hora, está fazendo sua descida lenta, e começa a fazer pressão no intestino grosso e no ânus da mulher, que sente vontade de fazer cocô. Muitas mulheres fazem cocô nesse momento, mas uma boa equipe que trabalha com parto consegue resolver rapidamente o problema, sem deixar que a mulher se sinta envergonhada nessa hora e atrapalhe o andamento do parto. Devemos lembrar que os profissionais que acompanham nascimentos já estão acostumados com isso e é um indicativo (também pra equipe) que o bebê está descendo.

A natureza é tão perfeita, nosso corpo sabe funcionar com tanta perfeição, que quando a mulher faz cocô, ela libera mais espaço pro bebê poder passar!

Ao atingir os 10 centímetros de dilatação, a mulher entra na próxima fase, a fase do expulsivo.

Fase do expulsivo: É nesse momento que o bebê nasce. O canal de parto, não é um tubo reto, por isso o bebê faz alguns giros.

Nesse vídeo a gente pode ver, claramente, o percusso e as manobras que o bebê faz!

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=duPxBXN4qMg]

Enquanto o bebê faz esse percusso, ele é “espremido” pelo canal de parto, fazendo com que seja eliminado tudo que estava dentro do seu pulmão e estomago.

Quando a gente analisa o que acontece no vídeo, podemos perceber coisas super importantes. A cabeça do bebê se modifica na hora do nascimento, ela estica, por isso os bebês não nascem com a cabeça redondinha.  A cabeça tem aquelas partes móveis, chamadas de fontanelas.

Fontanelas
Fontanelas (do google)

Um dado interessante é que com essa esticada da fontanela, a cabeça do bebê diminui um centímetro e é uma super ajuda que a natureza nos dá nesse momento!

Outra coisa que não podemos esquecer é que o corpo da mulher também se transforma nessa hora, nossos órgãos reprodutivos possuem uma capacidade elástica muito grande. O útero vazio mede cerca de 8 centímetros e na gestação ele se expande ao ponto de caber um bebê (que pode chegar a 5 kg, ou mais!),  a placenta e o liquido amniótico.

A vagina da mulher também é incrível. Quando não tem nada dentro as paredes da vagina se tocam, quando inserido um dedo, a vagina fica do tamanho de um dedo, e ela se adapta as formas e ao tamanho do que as preenche, como o pênis, absorvente intrauterinos e até mesmo ao tamanho de um bebê. Além disso o corpo da mulher produz outro hormônio nesse momento, a relaxina. A relaxina deixa os ligamentos e até os ossos da mulher mais moles. Assim a pelve dilata permitindo a passagem do bebê!

Em resumo a mãe e o bebê se adaptam a esse momento e logo depois seus corpos voltam ao normal.

Nesse momento do parto, a mulher não precisa ser dirigida, pois o corpo da mulher trabalha quase que involuntariamente nessa hora. Expressões como “faça força”, “queixo no peito” são completamente desnecessárias e atrapalham o andamento do parto.

A saída do bebê é marcada por sensações únicas, que a mulher nunca experimentou. Na maioria dos relatos as mulheres dizem que a dor das contrações ficam num plano mais longe, outras dizem que a dor passa, outras dizem que é uma sensação única e de prazer.

A decida do bebê termina com a coroação, conhecida como círculo de fogo, quando podemos ver o topo da cabeça do bebê. A mulher deve tentar relaxar ao máximo a vagina durante a saída do bebê, evitando a dor e as chances de lacerações. Esse círculo de fogo é relatado como um ardor, semelhante a fazer sexo sem estar devidamente lubrificada. Após a passagem da testa do bebê, o diâmetro da cabeça vai diminuindo e o círculo de fogo vai passando.

Na maioria dos partos o bebê não sai de uma vez, ele fica com a cabeça para fora e o corpo dentro da vagina esperando mais uma contração, nos próximos minutos, pra sair completamente. Os ombros saem um de cada vez e depois que eles passam o corpo sai de uma vez. Nesse momento não existe mais dor.

Em seguida, se o bebê estiver em um hospital humanizado, numa casa de parto ou mesmo em casa, ele deverá ir diretamente pro colo da mãe.

Nesse momento, a ocitocina que a mulher estava produzindo pra aliviar a dor, agora está sendo produzida sem que haja dor, então a mulher entra num estágio conhecido como pico de ocitocina. O obstetra e pesquisador francês, Michel Odent, reforça que esse é o momento ideal para estabelecer o vínculo entre mãe e bebê. Esse pico de ocitocina produz uma intensa sensação de amor e prazer, a sensação de se apaixonar, e ele acontece quando a mulher não mais sente dor, só a alegria de ter o bebê nos braços.

Dequitação da placenta: Há quem pense que o TP finaliza com o nascimento do bebê, mas mãe e bebê ainda têm muito o que fazer!

Placenta – do google

A primeira tarefa que o bebê vai aprender  é respirar, o que vai acontecendo aos poucos, enquanto a placenta para de alimentar o bebê através do cordão umbilical (em breve postagem sobre o cordão!). O bebê nem sempre chora na hora que nasce, as vezes ele emite alguns barulhinhos ou um gritinho mais alto, mas logo em seguida ele se acalma no colo da mãe.

Se o bebê nasce em um ambiente tranquilo, sem muito ruido, luz baixa e com a temperatura ambiente, ele vai abrir os olhos, olhar atentamente a mãe, o pai e vai ficar em alerta observando tudo que acontece ao seu redor. Logo ele vai estar apto a abocanhar o seio da mãe e graças a isso a mãe vai produzir outro grande pico de ocitocina. Como já foi mencionado, a ocitocina vai produzir contrações no útero e isso fará com que a placenta nasça!

É importante que a placenta sai completa, pois se ficar algum pedacinho lá dentro pode causar infecção. O nascimento da placenta é como uma cólica bem leve. Uma vez saída a placenta, o parto acabou e a mulher passa a ser uma puérpera.  Nesse momento ela é avaliada e caso tenha alguma laceração, alguns pontinhos serão necessários!

(Falaremos em outro post sobre as lacerações e como evitá-las)

Espero que esses dois posts ajudem a esclarecer e tirar as dúvidas sobre o processo do trabalho de parto.

Caso alguém queira esclarecer mais algum ponto, pode deixar nos comentários (que eu respondo no próprio comentário) ou pode mandar um email pra falecomadoula@hotmail.com.

12 Comentários

  1. adorei tudo bem explicadinho..
    que placenta feia né
    e o video muito bom

  2. Adorei! Gravida do meu segundo filho estou sempre em busca de mais e mais informações sobre o parto normal ou natural, pois pretendo ter um nessa nova gestação.
    Obrigada pelas informações, adorei saber de tudo e vou continuar acompanhando.
    Beijos

  3. Acompanhar tudo isso deve ser demais hein Ivna? Parabéns pelo trabalho, estudo e dedicação. Bjus Coisas da Lara

  4. amiga que lindo acredita que vendo dessa forma fiquei aqui imaginando
    como é lindo um parto, que nesses hospitais nos deixam é traumatizadas
    o vídeo do babe vindo é lindo
    não sabe que se ficasse um pedaço da placenta
    podia ocorre inflamação eu pensava
    que o corpo expulsava e nada acontecia
    sobre isso
    amei saber mais
    e cada vez mais me encantando

    ——??—–
    —-??-??—-
    —??—??—
    —??—??—
    —??—??—
    —-??-??—-
    —–???—–
    —-??-??—-
    —??—??—
    –??—–??–
    Iniciativa contra o cancer de mama
    Lindo dia amiga
    beijokas
    http://sermamaepelasegundavez.blogspot.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.