Quais os valores que passamos aos nossos filhos?

Quais os valores que passamos aos nossos filhos?

Quais os valores que passamos aos nossos filhos?

De ter, sem precisar ser.

Porque se você tem não importa muito se o outro não tem. Porque na verdade olhamos para a nossa condição, e quero dizer que se não temos, também olhamos para a condição de não ter.

A grande verdade de todas: tendo ou não só olhamos para o nosso próprio umbigo.

Hoje em dia… o que chama a atenção é o que você pode adquirir, os lugares, as viagens que fez, o sapato que calça, a bolsa que usa… e até mesmo onde seus filhos estudam.

Somos assim não tem jeito.

Mas, já parou pra pensar que… seu filho pode ser melhor do que você é?

Ter filhos é ver neles o reflexo daquilo que mais admiramos e também do que não gostaríamos que ele herdasse, neste caso não estou falando de aparência física. Estou falando de personalidade, caráter, de quem você de fato é quando ninguém te vê {Exceto Deus que é onipresente}.

Taí uma oportunidade de melhorar não somente para que seus filhos tenham bons exemplos, mas, principalmente para que não herdem e permaneçam com aquilo que menos admiramos e que nem ao menos ensinamos… mas… é de pai pra filho, parece vir na genética!

Vivemos no nosso mundo e como se o mundo ao redor também estivesse a nossa disposição.

Razão disto é vermos cada dia mais pessoas egoístas vivendo suas vidas sem se importar com o próximo, voltando a máxima que mencionei no início do post: já temos… então, pra que ser melhor?

Pra que ensinar ao nossos filhos a olhar para o amiguinho e dividir… a respeitar, a não xingar e cometer builing. Afinal quem se importa?

O que fala mais alto é o que podemos pagar.

A escola não se importa, porque lá você também paga.

Se seu filho não empresta os brinquedos também não se importa porque afinal o brinquedo é dele, e se o amiguinho não tem… e daí? Não é seu filho que não tem!

Tudo o que possui é mais valioso do que o que os outros tem, porque você pode pagar.

Ter é poder

E são as crianças desta geração que crescem desmedidas de sentimentos com o próximo. Porque na verdade ela não conhece outro sentimento do que o que recebe.

Não tem presença dos pais, mas tem presente.

Não tem o tempo dos pais, mas tem o quarto abarrotado de coisas, a dispensa entulhada do que daria para uns 10 comer. E é cercado de pessoas que farão exatamente o que ela quer, sem serem contrariadas.

E porque se importar em dividir?

Pra que pensar em ser melhor… se já nos achamos o melhor dos melhores.

Porque o ter… o comprar vale mais do que qualquer outra coisa. Fato é chama mais atenção… e só somos lembrados quando somos vistos e vê a prosperidade é muito mais fácil do que tentar conhecer quem a pessoa de fato é.

Que filhos estamos criando?

Que valores estamos deixando?

O que será da próxima geração?

2 Comentários

  1. Oi amiga, é mais comum do que imaginamos nos depararmos com situações assim..
    Ter, não dividir, não se importar realmente com o outro.
    A mudança pode ser feita em qualquer fase da vida, porém é na infância e creio que principalmente na primeira infância, que se formam esses valores do dividir, do se importar, do compartilhar…

    Uma pena ver tanta família que não se dedica a ensinar os filhos esses valores e com discernimento ajudá-los a serem crianças mais amigas, mais sensíveis e que se importem mais em Ser do que Ter…

    Vamos tentando!!

    Beijos beijos Tê e Maria ♥

  2. Perfeito amiga.
    Tem pessoas que ficam chocadas, por isso pouco tenho abordado esse assunto no blog, mas falou a verdade.
    Que valores estamos ensinando com nossas atitudes…
    Os pais tem se preocupado com os maus comportamentos dos filhos, ou o que importa é somente o ter?
    Pura verdade, amiga.
    Bjs
    Ju

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*