Perguntas Polêmicas

A maternidade e seus desafios

Perguntas Polêmicas

Conversamos no artigo anterior sobre a inevitável fase dos porquês nas crianças. Pois bem, tão inevitável quanto e que demanda de nós muito mais paciência e cuidado ainda, é a etapa das perguntas polêmicas. Como a primeira, não há como escapar. Por vezes, com a minha filhota, fico de cabelos brancos só de imaginar qual vai ser a próxima (rs), e as perguntinhas controversas nos rondam já há um tempinho.

Carol está com seis anos, e já falamos sobre sexo, religião, cores diferentes dos coleguinhas, sobre o que é ser gay, sobre morte (perdemos minha mãe há um ano e meio), enfim, só pra vocês terem uma ideia de como tenho uma cabecinha ativa aqui em casa, que fervilha de questionamentos que, a princípio, pensamos não serem típicos dessa idade. Porém temos que nos dar conta que hoje em dia vivemos num mundo em que um turbilhão de informações nos rodeiam o tempo inteiro, e por mais que tentemos proteger as crianças do despertar precoce de certas questões, não temos como colocá-los em uma redoma e evitar que percebam o mundo a sua volta e todas as questões que o rodeiam. Uma hora ou outra, tais dúvidas irão surgir.

O “segredo” que sigo com ela é nunca deixar de responder a nenhuma pergunta, mas claro, tento adaptar ao máximo cada assunto à uma linguagem específica de sua idade. Fugir das perguntas não é a solução, mas algumas vezes sou pega totalmente desprevenida, e me espanta a naturalidade contida nelas. Nesses momentos, em que ela me deixa sem saber o que dizer, recorro ao bom senso, e peço que espere por um tempinho e digo que assim que possível conversaremos sobre o determinado assunto. Enquanto isso fico pensando em abordar o tema da melhor maneira, mas nunca ignoro ou finjo que esqueci uma pergunta dela, e procuro conversar quando me sinto segura para fazê-lo da forma mais natural e espontânea possível. É claro que alguns assuntos não nos permitem total clareza e temos que omitir algumas informações. Sobre sexo por exemplo, obviamente não pude explicar com detalhes ainda do que se trata, então me limitei a dizer que é algo que duas pessoas fazem quando namoram e quando se gostam, e que quando ela for maiorzinha conversaremos novamente sobre o assunto. Pra ela naquele momento foi suficiente.

Na verdade, acredito que o grande segredo está na cumplicidade que é estabelecida ao longo do tempo com nossos filhos. Somos referência para eles, e sempre recorrerão a nós para questionar, então precisam ter a confiança necessária para tal. Mais uma vez, como sempre concordamos, existem algumas práticas diárias que tornam essa nossa tarefa muito mais natural e prazerosa: amor, dedicação, afeto, entrega, PACIÊNCIA.

E vocês, já estão nessa fase das perguntas polêmicas? Quais foram as que te deixaram de cabelo em pé? Vamos compartilhar nossas experiências?!

Beijos e até a próxima.

Priscila Silva.

Blog: Trocando Ideias

Fan Page: https://www.facebook.com/blogtrocandoideias?fref=ts

34 Comentários

  1. Aqui ainda não aconteceu nenhuma pergunta constrangedora, mas creio que em breve irão surgir. O devemos fazer com vc falou Priscila, é tentar responder com a maior naturalidade possível, e não fugir delas. Bjs
    Vivi e Isaac

  2. Seus desafiosssss!
    São diários e eternos!
    Mas compensam todo dia!
    Basta ouvir a palavra MÃE!

  3. Toda pergunta sobre sexo e relacionamentos gays me deixam constrangida. Temos amigos gays que têm um relacionamento homo acetivo, o que levantou questionamentos inclusive na frente deles.
    Creio que quando uma criança pergunta, usando uma linguagem simples, ela está pronta para ouvir a resposta.

    1. Flavia, o importante é sempre não ignorar os questionamentos dela viu, ainda mais nesse caso, onde naturalmente irão surgir dúvidas. É aquilo, calma, tranquilidade e bom senso, e concordo com você, ela está pronta para uma resposta, e ninguém melhor que você para oferecer!!

      Obrigada pela participação. Bjs.

      https://www.facebook.com/blogtrocandoideias

  4. amiga já tive cada porques que sai debaixo
    mas o bom mesmo e conversar bastante
    e ter boas respostas para os pequenos por que
    se não a vida ensina de maneira errada
    começa cedo é o melhor caminho
    linda noite bjs

  5. Oi flor, as polêmicas ainda não, mas a fase dos porquês já chegou aqui em casa,kkk
    Adorei o post.
    bjs

  6. A Luma acho que está começando a entrar .. outro dia me perguntou pq eu beijo na boca do papai ? rsrs

    Roberta Aquino
    Diário de uma Princesa agora é Tal mãe, tal filha …
    <a href="http://www.talmaetalfilha.blog.br//&quot; Tal Mãe, Tal Filha Blog

  7. Também precisei conversar sobre sexo e muitas outras coisas com minha filha quando ela estava com seis anos, porque as colegas na escola começaram a conversar com ela, mas passavam as coisas meio distorcidas. Porque falavam do que achavam, do que tinham visto na TV…
    Daí eu achei melhor ensiná-la da maneira correta e tamnbém pra dar a ela a liberdade de poder conversar comigo sobre qualquer coisa sempre.
    Beijinhos e Sucesso!
    http://dulcineiadesa.blogspot.com

    1. Então Dulcinéia, concordo muito com vc. Não adianta a gente se fechar, porque lá fora eles também aprendem e nem sempre da maneira correta não é?
      Se tiverem orientações em casa, ficarão mais seguros e nós também!!
      Bjs.

  8. Nossa, Cris, super concordo com você, realmente ser sincero e não fugir é a melhor coisa para firmar o elo com nossos filhos, em casa ainda não chegamos a essa fase ainda, mas já estou me preparando psicologicamente e buscando muitas dicas como esta sua, para poder responder as perguntas da pequena com sinceridade mas claro, adaptada a idade dela né?
    Adorei o post, querida!
    Beijos
    Jan
    Dedicação de Mãe

    1. Author

      Amiga não fui eu quem escrevi, mas a amiga Priscila que é colunista aqui do Prosa de Mãe. Mas super concordo com a postura dela. bjs

      1. Obrigada pela confiança amiga!! E sei que temos muita sintonia de pensamento. Bjs.

  9. Essa fase é bem divertida, pelo menos eu acho… tudo tem um porque esses porquês nunca se esgotão. Meu menino está assim e me divertido muito achando respostas.

    beijos

    1. Jamilly, que bom você encarar essa fase como algo divertido, porque poucas mães veem dessa maneira. Falta muita paciência com os pequenos ainda!! Fico feliz!! Bjs.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *