O amor se multiplica

Olá mamães e todos os queridos que acompanham o blog. Hoje estamos com uma mamãe de dois filhotes…

Ela é uma pessoal super especial, não tem quem não goste, super prestativa e acolhedora, se denomina feliz e verdadeiramente é…

Mãe de um menino e de uma menina, hoje nos conta como fica o amor de mãe?

Dividido? Preferencial?

Dona Maricota Feliz a Cléo Moretti

“É só o amor, é só amor, que conhece o que é verdade, o amor é bom, não quer o mal, não sente inveja ou se envaidece…..”

Durante minha adolescência ouvia muito as músicas do Legião Urbana e uma em especial tocava meu coração. Mas eu não tinha muita certeza do que era realmente o amor…

Era gostar de alguém? Era querer estar junto? Era sentir falta? Era ouvir uma música e lembrar? Sentir um cheiro e pensar em alguém? O que era mesmo o amor?

O tempo passou, muitas outras coisas aconteceram, me casei e a leitura escolhida para selar esta união foi a mesma da música que eu ouvia aos quatro ventos. Corintios 13. Mas a essa altura eu já acreditava saber o que era o amor, pensava que sim!

Então 4 anos depois o AMOR nasceu de mim! Acordou numa manhã de maio, como uma flor que desabrocha lentamente ao piscar dos olhos. Fez-se naquele momento o elo mais puro que pude sentir!

Davi, o Amado, nasceu e me fez descobrir o que o amor significa.

Foram dois anos intensos de entrega única. Até descobrirmos que o amor poderia se multiplicar em nossas vidas em forma de divisão!

Foi assim em meio a um turbilhão de novidades que chegou a pequenina Cecília, capaz de dividir e multiplicar nosso amor.

E aquela mãe que teve medo de não amar da mesma maneira, da mesma forma e do mesmo tamanho de amor, rendeu-se a um amor novo, um amor sem divisas e sem diferenças, que é tão igual e tão diferente. Pois ser mãe de menino é tão diferente do que ser mãe de menina. Não sei explicar, mas existe uma magia diferente no ar. Um sentimento misterioso que esta ali e você não pode vê-lo, nem toca-lo, nem senti-lo, mas ele está ali.

Muitas e muitas vezes fico a me perguntar se os amo de maneira igual, pois eles são tão diferentes. Será que eles medem meu amor?

Procuro sempre tratá-los do mesmo modo, mas sempre respeitando suas particularidades.

Sou uma mãe que pensa a frente. Crio meus filhos pro mundo, quero que sejam fortes e capazes de enfrentá-lo sem medo. Não posso criá-los numa redoma de vidro, pois ninguém vai passar a mão na cabeça deles o dia que eu faltar. Acredito que amar não é sufocar nem superproteger, e sim respeitar, instruir, instigar, incentivar.

Ser mãe de dois é um desafio diário, ainda mais, mãe de dois com idades assim tão próximas, e gêneros e gênios tão diferentes. Mas eu sou feliz assim, eles me desafiam todos os dias a ser uma pessoa melhor!

313384_560777710612637_1333067319_n

Espero que tenham gostado do texto, fazia muito tempo que ele estava impregnado em mim e precisava escreve-lo!

Cris, amei o convite!

Beijocas a todas!

BANNER3 (1)2

Cléo Moretti

Blog Dona Maricota Feliz

@Maricotafeliz

Facebook Cleo Moretti

Fan page Donamaricota

16 Comentários


  1. Não sei o que é ser mãe de menina, mas tenho 03 irmãs e um irmão e sei que irmã é diferente de irmão mas o amor é o mesmo. Acredito que as mães amem do mesmo tamanho os filhos, mas sinto que há preferências, A preferência pode ocorrer por várias razões.
    Meu filho sempre fala que a minha mãe tem uma filha preferida, e não sou eu…, mas eu não ligo e até faço piadinhas, pois sei que o amor é igual.

  2. Cris, obrigada!
    Que texto lindo Cléo! Veio no momento certo pra mim que também quero viver o amor de novo. Lindos os dois abraçadinhos!

    Bjs!

  3. Que lindo, Cléo! Fiquei encantada com o seu texto. Emocionante!
    Bjs

  4. Adoro a Cléo e que post mais lindo! Arrepiei… rs
    E o amor é isso mesmo: “É só o amor, é só amor, que conhece o que é verdade, o amor é bom, não quer o mal, não sente inveja ou se envaidece…..”

    Beijos
    Débora

  5. Que lindo, fiquei emocionada aqui tbém! Acho que tenho que colocar p fora algumas coisas assim que estão só em mim! Tbém crio minhas filhas p o mundo, por mais que me doa em muito momentos! Adorei Cléo! Bjoooooss

  6. Ai meninas, estou aqui em lágrimas, pois ele é tão puro e tão verdadeiro.
    Achei tão lindo que nem sei como escrevei essa poesia toda!
    Só pode ser a mãe que mora em mim, ehhhhh

    bjocas <3

  7. Cleo lindaaaaaaaa! Já falei: vou onde ver que tem você! Lindo texto, mas pura verdade sua! Bjokas mil Andrea e Lara coisas-da-lara.blogspot.com.br

  8. Que lindo amiga Cleo, com certeza o amor só multiplica e nunca subtrai… Amor de mãe é intenso e verdadeiro, e amar os filhos é simplesmente maravilhoso. Perfeito!!! Bjs
    VIvi e Isaac

  9. Ai Cleo que lindoo, eu fico aqui pensando como sera quando chegar outro bebe, se o amor se divide ou se ele se multiplica? As vezes me dava ate medo de nao amar igual, masagora eu sei que o amor de mae e cm se fosse elastico, ele crescem. Multiplica

  10. que lindo saber que o amor pode se dividir e multiplicar… Adorei a matéria! Bjs

  11. Cléo adorei seus texto, lindo.
    Medo de amar mais uma e a outra menos eu tive durante a gestação, agora sei que isso não existe e que amo muito as duas com a mesma intensidade, preocupação e dedicação. O que as vezes acontece é que minha mãe bota lenha na fogueira, eu já fui muito irresponsável quando a Tati nasceu. A Bibi foi “programa” a Tati veio de “intrometida”. Mas se não fosse pela Tati, talvez (ou com toda a certeza) eu ainda seria aquela garota louca e irresponsável. Então a Tati se sente menos amada, porque eu deixava ela com a avó para sair e a Bibi não vou nem “na esquina” sem ela estar comigo. A Bibi sempre teve um pai presente e a Tati foi ter pai aos quatro anos quando me casei com o Eduardo e ela aceitou ele como pai e ele aceitou ela como filha. E a avó adora falar mal de mim pra ela (se pagasse imposto estava falida kkkk), ela ainda não percebeu que amadureci e que aprendi com meus erros. E infelizmente a Tati leva a sério tudo o que a avó fala e está começando a achar que a mana veio para roubar seu lugar. Nossa postagem de hoje da BC Recordando, Aprendendo e Brincando ajudou bastante para mostrar para a Tati que ela também foi uma bebê e que a mamãe sempre esteve com ela, por mais que a avó teime em afirmar o contrário. Ela não lembrava de tantas coisas que fizemos juntas e ficou muito feliz em rever as fotos. Este sentimento dela é novo e espero que consiga trabalhar isso com ela para que ela perceba o quanto é amada, mesmo que o”doador de esperma” dela não dê a mínima pra ela.

    beijos

    http://diariodasprincesasdamamae.blogspot.com.br/2013/04/bc-recordando-aprendendo-e-brincando-3.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *