Kumon – Matrícula o ano todo

Você sabia que o Kumon faz matrícula o ano todo? Pois é, a matrícula pode ser feita em qualquer época do ano, pois o aluno do Kumon não depende de turmas ou períodos letivos. 

Passo a passo para matricular-se no Kumon

1- O primeiro passo é marcar uma entrevista individual com um orientador do Kumon. O aluno poderá fazer um teste gratuito, para diagnosticar suas necessidades e os conteúdos que já domina.

2- Para localizar a unidade Kumon mais próxima, entre no site do kumon e digite seu cep!

O que está incluso na taxa de matrícula?

A taxa de matrícula é única para o curso todo e o material didático já está incluso na mensalidade.

Sua matrícula, uma boa ação

E neste ano, quem efetuar a matrícula até o dia 20 de dezembro ainda irá ajudar milhares de crianças e adolescentes que passam pelo Hospital Pequeno Príncipe, maior hospital pediátrico do Brasil. É que parte do valor arrecadado com as matrículas será revertido para atividades de assistência, educação e cultura do Hospital Pequeno Príncipe.

Hospital Pequeno Príncipe

Localizado em Curitiba, no Paraná, o hospital surgiu durante a 1° Guerra Mundial, quando mulheres curitibanas se mobilizaram para oferecer atendimento médico às crianças carentes da região. Em 1919, nasceu o Dispensário Infantil, embrião do que viria a se tornar, em 1971, o Hospital Pequeno Príncipe.

Mantido pela Associação Hospitalar de Proteção à Infância Dr. Raul Carneiro, entidade sem fins lucrativos, o hospital é referência na pediatria brasileira, recebendo pacientes de todas as regiões do país. A instituição também conta com 1500 profissionais e abrange mais de 30 especialidades médicas.

Além de ter excelência técnica e científica, o Hospital Pequeno Príncipe proporciona um atendimento humanizado e multidisciplinar. Os familiares participam de todo o processo de internação e podem ficar hospedados na Casa de Apoio, que acolhe os parentes das crianças que residem fora de Curitiba.

A instituição possui um setor de Educação e Cultura, que contribui para a formação cultural dos pacientes. As iniciativas educacionais possibilitam a continuidade do ensino formal para as crianças que estão em tratamentos de médio e longo prazo e são reconhecidas legalmente como atividades de extensão escolar.

Saiba mais:

*Publicidade

2 Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *