Fale com a Nutri: Saladas

E hoje estreia a nova Coluna aqui da nossa Prosa de Mãe, um projeto lindo que claro que topei fazer parte! Junto com a Dayane @maesemfiltrorj  e a nutricionista Vivian @vivianutri toda semana um tema de nutrição infantil, mande suas perguntas que a Nutri responde!

Sobre a Vivian: Nutricionista formada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, doutora em biociência também pela UERJ, além de esposa, e mãe da Emília, de 2 anos e 7 meses.

Fale com a Nutri: Saladas

Na hora da refeição as palavras-chave para os pais se chamam PACIÊNCIA E PERSISTÊNCIA

Nós pais sabemos o quanto é desafiador fazer nossos pequenos comerem verduras, frutas e legumes. A paciência e persistência passam a fazer parte do nosso dia-a-dia, pois à hora da refeição pode ser uma tarefa difícil.

Até os dois anos de idade as crianças aceitam muito bem os alimentados ofertados, mas isso logo pode mudar. Nessa faixa etária, a criança descobre que tem vontade própria, desenvolve a sua noção de individualidade, ou seja, se enxerga como um ser independente da mãe, e isso faz com que a criança sinta necessidade de tomar decisões e fazer escolhas. Então aquele legume, fruta e verdura que seu filho comia tão bem podem ser recusadas de uma hora para a outra. Eu passei por essa fase com minha filha, na verdade ainda passamos, mas aos poucos tudo está melhorando. Minha pequena adorava feijão, simplesmente de um dia para o outro o feijão foi completamente recusado, assim como alguns legumes.

Bom, sabendo que isso é normal e que existem inúmeras outras mamães que passam por essa difiuldade na hora da alimentação (eu sou uma prova viva rsrsrs) vamos dar algumas dicas para tornar o momento da refeição mais prazeroso para os pequenos.

  1. O primeiro passo é: seja o exemplo. Não adianta você querer que seu filho coma a fruta se você está do lado dele comendo um fast food. Os pais precisam se alimentar bem. Comer verduras, legumes e frutas devem ser algo rotineiro na casa, assim os filhos vêem nos pais o exemplo a ser seguido.
  2. Leve seu filho na feira ou hortfruti. Ser apresentado as frutas e vegetais na forma in natura pode ser uma grande estratégia. Deixe a criança tocar nos alimenos da feira, sentir o cheiro, ver a variedade de cores… você pode transformar esse momento em diversão, e assim ajudar a dispertar na criança a curiosidade.
  3. Use a criatividade. Uma estratégia que me ajudou e muito foram os partos decorados. Acreditem, por mais simples que seja a decoração as crianças amam e desperta o interesse para comer. 
  4. Ensine seu filho a cozinhar. Deixe seu pequeno participar de alguma etapa na preparação da comida, como picar a verdura com as mãos, descascar o ovo cozido, fazer sucos, ajudar a higienizar as frutas… estratégias simples, mas que auxiliam a promover a mudança. A criança se sente importante e participativa na rotina da cozinha.

    Emilia ajudando no preparo do suco de fruta
  5. Realize substituições. Você não precisa fazer com que seu filho como apenas alface e tomate, então varie as verduras, legumes e frutas. Se seu filho estiver enjoado do arroz, oferte por exemplo um inhame, aipim, batatas. Caso recuse o feijão preto tente ofertar outros tipos de feijões e leguminosas, como grão de bico e lentilha.
  6. Mude a forma de apresentação. Seu filho não precisa comer apenas as verduras e legumes de forma separada. Varie a forma de apresentação, utilize receitas diversas para estimular seu pequeno a comer. Que tal fazer um arroz colorido, com cenoura e brócolis, ou um sufle de legumes? Tenho certeza que seu filho irá adorar provar novas consistências e sabores dos alimentos.

Agora que tal colocar essas dicas em prática? Utilize as estratégias e nos conte como está sendo a mudança na sua casa. Estamos aqui para ajudar, pois tenho certeza que juntas venceremos todos os desafios desse mundo fantástico da maternidade.

Vivian Soares, Nutricionista PhD.

Instagram: @vivianutri

3 thoughts on “Fale com a Nutri: Saladas”

  1. Oba, que projeto bacana, Cris.
    Sabemos que por vezes a alimentação é um assunto complicado em muitas famílias, e receber dicas e orientação é sempre bacana.
    É exatamente isso que acontece com as crianças, a partir dos 2 anos mudam os gostos, paladar, e não é fácil.
    Amei a proposta e desejo sucesso.
    Vou sempre acompanhar as dicas.
    Bjs
    Ju

  2. Foi assim com o meu Matheus também, até dois anos comia de tudo, depois todo almoço e jantar uma luta, Legumes e verduras então muito difícil, mas vou insistir mais, ótimo quadro Parabéns.

  3. Amei o quadro amiga.. tudo muito bem colocado.. E é bem isso. De uma hora pra outra as crianças mudam totalmente o paladar.
    Me lembro que Maria tinha mais ou menos essa idade e comia bem, depois não sei o que aconteceu e descuidamos de alguma comida. Depois com muito teatro (sim) e jeito ela foi rapidamente voltando a comer bem. Mas foi um periodo muito curto.. Não me lembro direito.
    Hoje você sabe como é, como super bem apesar de gostar de tranqueiras rs

    Sempre falo quanto às mudanças. Hoje podemos ainda, com 10 anos, controlar e ajudar a Maria se alimentar bem. Mas a adolescência está chegando, a influência de coleguinhas é muita e sei que ela podera trocar alguns alimentos por outros não tão saudáveis e escolher o que vai comer daí pra frente..

    Torço para que a sementinha plantada aqui até hoje tão verdadeiramente, dê frutos futuramente. Hoje posso me orgulhar do Refri que ela nem conhece aos 10 anos e de outras coisas que esforçamos e deu resultado..

    Sucesso às três. Adorei o quadro

    Beijos Tê e Maria ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*