Fale com a Doula – Apresentação

Olá Mamães, Papais, tentantes e futuras mamães!

Hoje trago pra vocês um assunto ou melhor uma nova coluna do blog!

Fale com a Doula

Tenho lido muito sobre esse assunto e como muitas mulheres tenho inúmeras dúvidas. Por isso, reservamos um cantinho aqui no blog e óbvio que não serei eu a responder e nem falar do assunto mas a querida Ivna que é Doula, uma amiga querida que conheci na blogosfera e que admiro sua luta, seus ideais e seu modo único em escrever.

Seja Bem Vinda!

Com vocês Ivna – Fale com a Doula!

fale com a doula

Sou Ivna, mãe do Enry, que está com 4 anos. Enry nasceu de um parto (a)normal, num trabalho de parto que durou cerca de 14h. Nasceu numa maternidade pública aqui de Fortaleza.

Durante dois anos, mantive um blog/diário sobre nossa maternagem, o blog se chama(va) O dono do meu mundo azul, mas recentemente, resolvi privatizá-lo por falta de tempo e dedicação pra postar.  Espero que logo possa retornar com as atividades por lá.

Nesse tempo de blogagem conquistei muitas amigas, e a Cris é uma dessas queridas que a internet trouxe pra minha vida, nós inclusive já fizemos parte de outra equipe de mães, em outro blog materno.

Por muito tempo fui mãe em tempo integral.  Uma decisão bem difícil, mas que -acredito!- nos renderá bons frutos.  Durante esse período acabei me aprofundando na blogosfera e me identificando com outras maneiras de maternagem, aprendi muito sobre criação com apego, livre demanda, nascimentos, partos, tipos de partos… trazendo pra minha casa muitas reflexões.

Só então passei a refletir sobre minha experiência de parto. Lendo, passei a conhecer sobre as evidencias científicas e conseqüentemente sobre violência obstétrica. Foi então que me descobri violentada. O que antes era uma névoa escura no coração, passou a ganhar um novo sentido. De luta, batalha. Renovação.

Fui seduzida pelo assunto e surgiu a vontade de ser Doula. No curso, pude estar perto de várias profissionais que eu já acompanhava na internet e que há muito tempo batalham pela causa mãe-bebê no parto. Ou seja, o famoso Parto Humanizado que estamos escutando tanto falar ultimamente.

Durante o curso eu fiquei tocada, mexida, chocada. Mas também fiquei maravilhada com a natureza do parto, com a beleza do parto, com a simplicidade (pasmem!) do parto e criei muita fé e esperança.

Esperança de que toda mulher, independente de raça, escolaridade, classe social, religião tivesse preservado e assegurado seu direito à informação e à escolha no momento mais importante de sua vida: o nascimento de seus filhos.

Hoje, sou mãe e doula em tempo integral. Ser doula passou a ser, além de uma profissão, um estilo de vida.

E a convite da Cris, virei aqui quinzenalmente trazendo muita informação e reflexão sobre as mais variadas formas de nascer.

998782_493776620707620_767919944_n

Ivna Pinna

17 Comentários

  1. Muito bom Cris e Ivna, só tenho que dar os parabéns pelo trabalho e pela iniciativa Cris de trazer esse assunto para sanar dúvidas e esclarecer muitas coisas pra que nem sabe o que é uma Doula. Tenho uma prima que começou esse trabalho tem pouco tempo. Não sei como está a profundidade de seu trabalho, mas vejo que ela tem se apaixonado por ele.

    Parabéns meninas e desejo muito sucesso a vocês. Tenho certeza que é um lindo trabalho. Deus abençoe!

  2. Adoro as coisas da Ivna, ela me dá várias dicas! Bjus Coisas da Lara

  3. Que máximo, adorei ter a amiga querida Ivna por aqui, tenho certeza que está coluna vai ser um sucesso 🙂
    Quero aprender mais, não sei muito sobre o assunto. Bjs
    Vivi e Isaac

  4. Legal tratar desse assuntos e ajudar quem tem dúvidas… mas eu estarei aqui só como telespectadora pois dessa experiência não desfrutarei mais. Pelo menos não no natural.

  5. adorei saber um pouco dela..acredita que eu nao sei o que é uma doula
    kkk abraços

  6. É um prazer estar aqui! Espero que nossas discussões sejam bem alegres e super proveitosas!
    Quem tiver dúvida, fique a vontade pra perguntar! =)

    Beijos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.