Deixando o coração em casa

Deixando o coração em casa

E cá estamos com nossa prosa… oh coisa boa prosear!

Hoje é a mamãe de uma linda menina, que vem abrir seu coração e contar pra gente…

Com vocês, Carol Meoli do blog Mundo cor de rosa de Babi

Sou Carol Meoli , tenho 28 anos, sou mãe da Ana Bárbara (Babi) de 3 anos (completos em março).

Sou uma mãe que trabalha fora e que teve que voltar ao trabalho deixando o bebê de 5 meses com a avó.

Onde perdi muitas coisas, como o primeiro passinho, não foi eu quem viu o dentinho nascendo primeiro, algumas palavrinhas, ou seja, todas novidades eu perdi. Não fui a primeira a ver ou a descobrir.

Essas são umas das desvantagens de ser uma mãe que trabalha fora, com certeza tem muitas espalhadas por ai.

Mães que dariam tudo para poder ficar todo o tempo com seus filhos e não perder nenhuma coisinha se quer.

É ruim demais, acordar as 04:30hs da manhã, na ponta do pé, não acendendo luzes, sem fazer ruídos, para não acordar a criança.

Porque se acordar, infelizmente você estará ferrada na certa.

Digo isso porque a criança acorda e percebe que você está se arrumando para sair para o trabalho.

Onde a criança, chora, pede para você deitar com ela, pede pra você ficar, pede para ir trabalhar com a mamãe. E como fica o coração dessa mãe sentimental?

Aos pedaços, seria a resposta certa.

Tenho um sonho de poder trabalhar 100% só com meus artesanatos, sem precisar trabalhar fora. Para assim, poder ficar com a minha pequena Juma Marruá, rs.

Mas, a melhor parte do dia de uma mãe que trabalha fora, é a hora de regressar para casa.

Ai que delícia!!!

Poder ver aqueles olhinhos brilhando de felicidade, porque a mamãe chegou. Um sorriso, um beijo, abraço e olhos nos olhos, são a recompensa de um dia tão árduo, longe disso tudo.

Mas pena que no dia seguinte é tudo isso novamente, a distância…

Não é fácil trabalhar fora e deixar sua filha assim.

As mães que trabalham fora, sabem beeeem do que estou falando.

Mas, tem certas coisas na vida que são necessárias. E trabalhar fora para ajudar no orçamento da casa, é uma delas.

Carol

Beijos,

Carol Meoli

Mundo cor de rosa de Babi

484672_561322937236009_2143281969_n

19 Comentários

  1. Aiaiaai, eu já passei por isso e agora to de novo na rua, mas a vida segue e tudo se acomoda.
    beijocas

  2. Ja passei e vou passar por isso novamente… mesmo sendo dona do negocio, o Davi terá que ficar na creche… o coração aperta… só quem passa por isso sabe!
    Adorei a prosa!!!
    Beijos
    Diariodematernidade.blogspot.com

  3. Nossa Carol imagino que num é fácil. Eu também tive que lagar meu bebê com apenas 4 meses pra trabalhar fora,sofro muito por isso. Mais fazer o que precisamos trabalhar para poder dar as coisas pra eles ne.

    Beijos

  4. Deve ser muito dificil para uma mãe não poder acompanhar de perto os progressos e o desenvolvimentos dos pequenos. Eu trabalho, mas desde que ganhei minha filha ainda não voltei, minha filha irá completar 7 meses, mas ainda não consegui voltar ao trabalho nem pra faculdade. Não sei como vai ser quando tiver que voltar as minhas atividades.
    Tatiane Freitas – Prioridade de Mãe

  5. Carol, é assim mesmo… As mães que não trabalham sofrem a carência de uma atividade e de um salário todo mes.. muito necessário para a familia.. Esse Brasil dá poucas oportunidades (ou quase nenhuma) a quem quer trabalhar meio periodo enquanto a criança está pra escola. Eu fui uma delas que tentei e não consegui essa proeza..

    Sair para trabalhar doi muito. Perde-se mesmo muitas coisas, mas a vida corre da maneira que podemos levá-la. E Babi sabe que a mamãe é especial e que a ama muito. Muitas ficam em casa também e não dão amor, atenção e educação para seu filho.. De que adianta?

    Deus abençoe vocês e que o amor cresça cada vez mais.. independente da situação!
    Beijos grandões!!

  6. Nossa nem me fale…o meu primeiro filho que hoje tem 4 anos ficou na escola cedo pra eu trabalhar….mas depois que tive a segunda que tem 2 anos,meu coração falou mais alto e estou em casa até hoje com ela..bjs

  7. Ela saberá valorizar isso quando crescer, eu valorizo todo trabalho e esforço que minha mãe fez por mim! mUITO BOM CONHECER MAIS ESSA PROSA!
    BJOS
    TATTY

  8. Oi amiga do meu heart, trabalhar fora não é mole, mas não somos menos por isto. Não se culpe, Babi irá crescer, vendo em vc uma grande mulher, guerreira e forte. Te adoro e te admiro.
    Bjus

  9. É mesmo, tão difícil!!! Pela necessidade, pelas escolhas que fazemos em nossa vida!
    E vc sai cedo ein mulher! nossa!!!

    bjo!

  10. Carol só de lê o seu post me deu um aperto no coração .. imagino que deve ser bem dificil mmo “deixar” o filho em casa e ter que passar o dia fora trabalhando .. entre isso e outros motivos que junto com meu marido acabei ficando em casa pra cuidar do Gui …
    Mas a chegada em casa deve ser maravilhoso .. não tem recepção melhor né …

    beijos Mi Gobbato
    http://espacodasmamaes.blogspot.com.br/

  11. Trabalhar e ser mãe é complicado.
    O resultado final é maravilhoso.
    Tive que trabalhar pq preciso se se pudesse ficaria em casa tb.
    Bju

  12. Carol, deve ser muito difícil e é pensando nisso que decidir ficar com o Lucas em casa, hoje nem sei se conseguiria deixa-lo, então imagino o quanto é difícil.

    Beijos

  13. Carol parabéns! O texto emociona…. eu passo cada minuto com a Lara e chorei ao ler seu texto, não conseguiria ter vivido o crescimento dela até hoje estando distante, exatamente o que disse. Bjus Coisas da Lara

  14. Nossa imagino como deve ser doido ir e deixar. Mas acho que amor e o carinho é o mais importante. E claro o tempo que ficam acho que vale muito, pois as vezes mães ficam o dia inteiro, mas não é qualidade.
    Espero que consiga logo ficar só os artesanatos. Bjs
    Vivi e Isaac

  15. eu já trabalhei fora e deixei minha fiolha pequena
    vamos trabalhar mais deixamos as criançascom o coração na mão, nãopq nãop vão ser bem cuidadas , vão, nom meu caso deixei com minha mãe tb .,mas pelo fato de estarmos perdendo algumas fases delas
    adorei
    beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*