De mudanças…

Não consegui passar aqui pra contar que estávamos de mudança… Mas, quem já fez uma mudança, imagina bem o porque de não ter tido tempo…

Por semanas ficamos com a casa repleta de caixas e sacos… a cada dois passos, esbarrávamos em algum item referente a mudança. 

Precisei me desapegar de muitas coisas… não foi fácil, mas, desde da mudança, o desapego tem sido meu sobrenome e ainda hoje fiz mais uma limpa dos brinquedos e roupas do pequeno {que não pára de crescer}, separando pra doação. 

As mudanças…

Tenho vívido um período de mudanças que não apenas foram apenas no espaço físico, mas, começaram no ano passado, onde mudei a minha alimentação, a rotina e prática de exercícios. A mudança começava ali… e de lá pra cá as mudanças continuam sendo constantes, em todos os sentidos.

Mudamos de bairro, de casa, de igreja… mudamos como pessoas!

Às vezes umas perdas são necessárias para que possamos ter acesso a outras.

Mudamos de um apartamento para uma casa de vila, ela é bem menor, do que o espaço que tínhamos antes… por isso a adaptação foi bem minuciosa, o desapego mais que necessário. Com isso percebi o quanto era acumuladora… como tinha coisas que não precisava, como guardava objetos que poderiam servir a outras pessoas… e como meu filho tinha muito mais brinquedos do que seria capaz de brincar! No início foi difícil desapegar… mas, depois, fluiu muito melhor e meu senso crítico entrou em ação em cada novo cômodo que entrava para organizar o que iria levar.

Abençoamos muitas pessoas com o que não mais nos servia, recebi depoimentos tão lindos de crianças que ficaram maravilhadas com os brinquedos que receberam, das roupas e sapatos, que pra elas, novas {não que estivessem velhas ou gastas demais…}. Um pouquinho do que eu tinha foi se espalhando… e me fez perceber que mesmo, no meu pouco {que acreditava possuir}, era muito, era tanto… que multiplicou.

E assim, tem sido pra nós. Temos vívido um dia por vezes, encarando os enfrentamos da vida, juntamente com suas dificuldades. Pois cada um trava a sua luta… e não que seja maior ou menor que a dos outros, mas, ainda assim são desafios, como tal, precisam ser superados.

Agora somos 4!

Para tudo! Não é mais um filho não… mais não deixa de ser mais uma criança na minha vida, o meu pai. Agora moramos na casa dele… e ele nos acolheu tão bem… e nós o acolhemos do mesmo modo.

Uma casa de Vila

Novidade para nós, mais ainda para o meu menino que nasceu em apartamento, que não tinha playground… Agora uma casa na vila para ele é um paraíso! Por coincidência o neto do vizinho da frente da nossa casa, tem a idade do Joseph e ainda tem mais dois meninos mais novos, que acredito tenham a idade do primo, uns 5 anos. E à tardinha… o que se tem melhor do que brincar lá fora?

O espaço que perdemos dentro da casa, por ser menor que o apartamento, ganhamos lá fora! Onde com segurança o meu menino pode andar de bicicleta, patinete, skate e o que mais tiver, além de jogar bola e interagir com as crianças, ensinar as suas brincadeiras favoritas e aprender a brincadeira dos amigos.

Encare a mudança!

Não foi fácil, encarar, tão pouco aceitar… mas, digo a você que hoje sou melhor do que antes. E abracei a mudança constante. Que todo dia seja dia de uma mudança. É o que eu desejo!

1 comentário


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *